Investir em tecnologia e inovação agrega valor à medicina diagnóstica

Investir em tecnologia e inovação agrega valor à medicina diagnóstica

Confira a entrevista com Fernando Gatz, executivo de Contas Internacionais da Quest Diagnostics do Brasil

11 de Maio de 2020

As empresas que atuam na área de saúde têm buscado a garantia da qualidade por meio do aumento da eficiência e da inovação. O avanço de tecnologias vem permitindo que exames de diagnóstico sejam realizados em grande escala, em menor tempo, com mais precisão e qualidade, prezando cada vez mais pela melhor assistência médica.

Para a Quest Diagnostics do Brasil, há mais de 20 anos em território nacional, o investimento em novas tecnologias e inovação é fundamental para agregar valor aos serviços prestados e se manter competitiva. “Com o cenário globalizado, é ainda mais importante para os laboratórios de medicina diagnóstica, até pelo o que vimos com a pandemia do novo coronavírus, desenvolver novas estratégias e tecnologia para melhor atender as demandas do mercado”, explica o executivo de Contas Internacionais da empresa, Fernando Gatz.

A seguir, ele destaca a importância dos avanços tecnológicos para o setor, os desafios enfrentados pelos laboratórios com a pandemia do novo coronavírus e a relevância da Abramed para a medicina diagnóstica.

Confira a entrevista!

Abramed em foco – Nos Estados Unidos, a Quest Diagnostics investe constantemente em pesquisa e desenvolvimento e conta com equipes médicas e científicas que se empenham no desenvolvimento de inovações para o setor de medicina diagnóstica. Como é a questão de investimentos em P&D da empresa no Brasil? Existe um polo brasileiro dedicado à inovação?

A Quest do Brasil é um laboratório de apoio para laboratórios de referência. As análises que recebemos nos laboratórios brasileiros são 100% enviadas para as nossas unidades nos Estados Unidos. Lá desenvolvemos novas estratégias de tecnologia e inovação para serem disponibilizadas para os outros mercados, inclusive o Brasil.   

Uma das coisas que faz com que a Quest tenha essas novas tecnologias é justamente a nossa presença no mercado global. Conseguimos, a partir das necessidades e demandas de diagnósticos em vários países, desenvolver novos testes. Também produzir outras aplicações trabalhando junto com os maiores fabricantes de equipamentos de diagnósticos.

Abramed em foco – Por que é importante acompanhar as evoluções tecnológicas na área da medicina diagnóstica?

A Quest Diagnostics tem foco na descoberta e fornecimento de insights e inovações no setor de diagnósticos e se tornou um fornecedor mundial líder nos serviços de informações de diagnósticos necessários na tomada das melhores decisões relacionadas à assistência à saúde.

As grandes empresas do setor no mundo têm buscado inovações que ampliem tanto o acesso quanto a personalização da medicina hoje praticada. E as tecnologias acabam por ser direcionadas para atender às necessidades de cada país.

Para atender ao mercado nacional, fornecemos tecnologia de informações e soluções de logística que possibilitam suporte integrado aos profissionais de saúde e seus pacientes. Trazemos esses avanços para o Brasil e temos ainda a possibilidade de transferência de inovação para os laboratórios que são nossos parceiros aqui.

Abramed em foco – Existe alguma dificuldade para trazer essas tecnologias para cá devido às regulamentações brasileiras? Como funciona esse processo?

Temos de passar pelos processo de regulamentação do Brasil, por isso que, às vezes, dependendo da demanda, ainda compensa mandar as amostras para que sejam processadas nos laboratórios nos Estados Unidos. Naquele país, apesar das regulamentações, assim como aconteceu agora com a pandemia do novo coronavírus, temos novas tecnologias em aprovação com a Food and Drug Administration (FDA).  

O que realmente falta para que o Brasil possa atingir o mesmo patamar dos países mais avançados em termos de inovação em medicina diagnóstica é a mudança de cultura e maior investimento em pesquisa e desenvolvimento. É preciso fomentar essa vertente transformando-a em uma tradição, investir em pesquisa e gerar conhecimento em saúde.

Abramed em foco – O mundo está vivenciando a pandemia do novo coronavírus. Nesse cenário, a Quest tem desempenhado um importante trabalho nos Estados Unidos, onde, no auge da crise, foi responsável por quase metade de todos os testes realizados no país. No Brasil, a empresa tem realizado exames para o diagnóstico de Covid-19? Como está sendo esse processo?

Nos Estados Unidos, os testes já estavam disponibilizados no mercado americano. Foi um processo muito rápido de adaptação da Quest até para poder absorver toda a demanda, que chegou a 50 mil testes por dia em vários laboratórios que temos espalhados naquele país. Recentemente, tivemos a autorização para oferecer esses exames aqui no Brasil.

Os testes de RT-PCR e para anticorpos já estão disponíveis aos laboratórios brasileiros que decidirem mandar suas amostras para as nossas unidades nos Estados Unidos. A logística está preparada para receber os exames brasileiros e estamos comunicando o mercado nacional sobre essa disponibilidade.

Abramed em foco – Um dos grandes desafios da pandemia para o setor de saúde é a logística. Como oferece o serviço de transporte das amostras do Brasil para os Estados Unidos, quais medidas foram adotadas pelo laboratório para continuar garantindo esse serviço?

Dispomos de profissionais muitos experientes nos processos logísticos para o envio das amostras. O que passamos a fazer foi monitorar mais de perto para criar um fluxo favorável. Continuamos garantido o mesmo prazo de transporte tanto para os testes para detecção de Covid-19 como para outros tipos de análises.  

Temos também uma logística para a coleta de amostras em um tempo bastante rápido direto nos clientes, com acomodação dos materiais em embalagens adequadas da própria Quest. Também centralizamos o envio dos exames pelo Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP). Conseguimos garantir voos diários do Brasil para os Estados Unidos e, com isso, tudo está funcionando bem durante a pandemia. 

Abramed em foco – Nos Estados Unidos, o trabalho feito pela Quest Diagnostics foi um sucesso ao conseguir atender uma alta demanda de exames durante a pandemia. Como isso foi possível?

Foi possível pela liderança do nosso CEO, Stephen H. Rusckowski, juntamente com a expertise da Quest em ser muito capaz de processar um grande volume de testes, além da adaptação que foi realizada, pois logo no início da pandemia foi feito um processo de mudança de foco para atender a demanda desse tipo de exame.

Desde o começo da pandemia do novo coronavírus, a empresa já processou mais de um milhão e meio de testes RT-PCR. Também anunciou para o mercado americano a disponibilidade de exames de anticorpos para detecção da Covid-19.     

Abramed em foco – Na sua opinião, o que o setor de medicina diagnóstica brasileiro pode aprender com a pandemia do novo coronavírus?

Entendo que para setor de medicina diagnóstica, devido ao momento de emergência em saúde vivido no mundo, ainda vai ser necessário um tempo maior para dar esta resposta.

Com o cenário cada vez mais globalizado, uma das coisas que a Quest fez foi ter uma plano de ação para que assim que identificar uma situação de risco, ou de pandemia, como atualmente, consiga, por meio dos milhões de datapoints que possui na área de diagnóstico, mapear qual vai ser a demanda e qual a melhor maneira de receber as amostras. 

Acredito ser bastante importante para os laboratórios de medicina diagnóstica, até pelo o que vimos recentemente, desenvolver alianças estratégicas com os governos federal e estaduais para firmar parcerias. E mais importante ainda é entender e monitorar o que acontece em outros países, porque que vimos que não existe fronteiras de proteção para a propagação de novos agentes patogênicos.  

Abramed em foco – Como vê a importância da Abramed no cenário da saúde e para suas associadas?

Com certeza é uma instituição de alta relevância principalmente pelo nível dos profissionais que estão na direção da Associação, bem como pela rapidez e qualidade do nível de informações fornecidas que alertam para cenários futuros. São tantas questões que uma empresa privada não teria acesso e nem estrutura e organização para obter esses dados, que somente a Abramed  torna isso possível.

Hoje considero a entidade como o principal canal de comunicação do nosso segmento tanto com os associados como com o stakeholders brasileiros. Oferece também um alto nível de assessoria em setores que a medicina diagnóstica tanto precisa, como jurídico, regulação, entre outros, e isso se mostra de altíssimo valor.

Os associados reconhecem todo esse trabalho e sabem que é importante fazer parte da Abramed. 

Abramed em foco – Este ano, a Abramed comemora 10 anos. Como associado, o que a Quest do Brasil espera da Associação para a próxima década?

Tive o privilégio de estar na inauguração da Abramed há dez anos, embora, na época, trabalhasse na indústria da saúde, tendo migrado depois para o segmento de laboratórios. Acredito que os associados querem que o compromisso da entidade se mantenha, leve o segmento de medicina diagnóstica para uma situação de evidência e alcance maior de visibilidade entre os stakeholders e a população brasileira.

A medicina diagnóstica tem um papel muito importante na vida das pessoas, pois 70% das decisões médicas são baseadas em exames de diagnóstico, mas ainda somos um setor que precisa ter maior representatividade para ser considerado relevante no universo da atenção à saúde.

A decisão de se associar à Abramed mostra o interesse da Quest Diagnostics do Brasil em estar mais próxima dos demais laboratórios e dos outros segmentos da saúde.

Associe-se Abramed

Assine nossa Newsletter

5 FILIS Adiamento Comunicado Corona Virus Abramed Home Office