Futuro da Medicina Diagnóstica foi tema do 3º FILIS

Futuro da Medicina Diagnóstica foi tema do 3º FILIS

Edição do Fórum Internacional de Lideranças da Saúde reuniu importantes especialistas e lideranças para debater temas de grande interesse do setor

03 de setembro de 2018

Buscando o desenvolvimento sustentável da medicina diagnóstica por meio de ações que contribuam para todo o setor, a presidente da Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed), Claudia Cohn, abriu na sexta-feira, 31, o 3º Fórum Internacional de Lideranças da Saúde (FILIS). O evento, realizado no Hotel Renaissance, em São Paulo, reuniu mais de 500 especialistas e líderes da área da saúde de todo o país. O tema deste ano foi “Saúde em pauta: perspectivas para o futuro do setor”.

Dividido em quatro módulos, o evento teve mais de sete horas de duração. Vinte e oito palestrantes e debatedores trocaram experiências, discutiram melhorias para o setor e disseminaram conhecimento sobre os novos tempos.

Em seu discurso de abertura, Claudia Cohn ressaltou a importância que um evento desse porte tem, ao reunir profissionais da área, líderes, autoridades, entre outras personalidades do complexo sistema de saúde brasileiro. “Temos aqui uma grande oportunidade para nos inspirarmos e discutirmos temas relevantes para a saúde, principalmente pela presença de mentes brilhantes”, enfatizou.

Surgimento

Claudia lembrou o caminho que a associação percorreu nesses oito anos desde sua criação. “Apesar da importância na cadeia da saúde, a Abramed nasceu para tratar de um ou outro problema do setor. Contudo, naquele momento, já se deparou com imensos desafios comuns a todos. Nesses oito anos, passamos por diversos ‘Brasis’. Num momento, um Brasil de grandes oportunidades, investimentos, crescimento; até chegarmos ao Brasil da crise, corrupção, retração e vergonha. Um país mergulhado em muitas crises.”

A presidente destacou ainda o esforço que muitas empresas despenderam para atravessar esse período e buscar o crescimento, em um setor que à época era fragmentado e cheio de rupturas. “Hoje, após muito esforço, temos uma visão comum, uma união. A Abramed congrega empresas de todos os portes, que representam 50% do volume de diagnósticos realizados na saúde suplementar, e que passaram a encarar conjuntamente os seus desafios. Trata-se de um setor, hoje, que discute a saúde e o diagnóstico dentro da saúde e no sistema de saúde. Um setor que busca, unido, crescer e alcançar a sustentabilidade em prol do paciente”, disse.

Futuro

A um mês das eleições, Claudia chamou a atenção dos presentes para a importância do voto. “Precisamos promover um Brasil de verdade, transparente e de atitude positiva. Nós, na Abramed, estamos fazendo nossa parte. Nossas empresas têm conquistado resultados à custa de investimentos em tecnologia, na busca por uma eficiência constante em processos, a fim de que não haja perdas”, destacou e acrescentou que a regionalização deixa o setor cada vez mais acessível ao paciente. “Vamos continuar trabalhando para assegurar a participação integrada, garantindo a qualidade do serviço entregue, com valor agregado no desfecho. Vamos continuar incentivando e investindo no desenvolvimento tecnológico, com responsabilidade na contribuição para o uso racional dos recursos. Tudo para que o paciente tenha uma jornada mais adequada, em todos os sentidos e em todas as classes sociais”, finalizou.

Associe-se Abramed

Assine nossa Newsletter

    6° FILIS – Inscrições Abertas! Guia LGPD

    Veja também