Número de exames reduz 14,6%, grande parte para diagnóstico de câncer, segundo Painel Abramed

Número de exames reduz 14,6%, grande parte para diagnóstico de câncer, segundo Painel Abramed

No mês em que é celebrado o Dia Mundial do Câncer, o alerta é sobre a importância da retomada dos exames para diagnóstico precoce da doença.

Com o agravamento da pandemia no país e a manutenção das medidas de isolamento social, cerca de 177,5 milhões de exames deixaram de ser realizados em 2020, muitos deles associados ao câncer. Neste 4 de fevereiro, Dia Mundial do Câncer, a Abramed – Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica faz, justamente, um alerta sobre a importância do diagnóstico precoce.

Segundo o Painel Abramed 2021 – O DNA do Diagnóstico, em 2020 houve redução de 133,5 milhões de exames de diagnóstico na comparação com 2019, o que corresponde a 14,6%. Foi verificada redução acentuada no número de exames que auxiliam no diagnóstico do câncer: queda de 37,3% de exames de pesquisa de sangue oculto nas fezes; 31,8% de colonoscopias; 28,3% de mamografias e 24,4% de exames de citopatologia cérvico-vaginal oncótica.

O INCA – Instituto Nacional de Câncer estima cerca de 625,4 mil novos casos da doença a cada ano, entre 2020 e 2022. Serão, por exemplo, 65.840 casos novos de câncer de próstata, o que representa uma probabilidade de 62,95 casos novos a cada 100 mil homens, e 66.280 casos novos de câncer de mama, com um risco estimado de 61,61 casos novos a cada 100 mil mulheres.

A estimativa é que haverá um aumento de 20% no número de óbitos em pacientes com câncer nos meses subsequentes aos períodos de confinamento da população em decorrência da pandemia. E não é só isso, quanto mais tardio é o diagnóstico, piores são as sequelas do tratamento.

No Brasil, segundo o relatório de auditoria sobre a política nacional para prevenção e controle do câncer realizado pelo TCU – Tribunal de Contas da União, aproximadamente 80% dos pacientes com câncer foram diagnosticados em grau de estadiamento 3 e 4. Esses números geram preocupação, já que a detecção e o tratamento precoce podem aumentar as chances de cura dos pacientes.

O entendimento de que diagnosticar pacientes precocemente salva vidas e pode reduzir consideravelmente as despesas assistenciais já está consolidado há muito tempo. Não há dúvida de que o diagnóstico tardio, ao contrário, pode promover uma sobrevida pior e resultar em tratamentos mais custosos e muitas vezes ineficientes.

“Os números mostram que a pandemia reduziu as ações de prevenção de doenças. Agora é o momento de reforçar a importância do autocuidado, dos exames preventivos e dos benefícios do diagnóstico precoce junto à população”, salienta Wilson Shcolnik, presidente do Conselho de Administração da Abramed.

O trabalho de diagnóstico é fundamental para os resultados que trazem valor na área da saúde e para a sustentabilidade dos tratamentos. As estratégias para a detecção do câncer são o diagnóstico precoce e o rastreamento. O rastreamento engloba vários procedimentos eficazes para o diagnóstico de doenças em pessoas assintomáticas. Os exames permitem detectar anormalidades, evitando intervenções mais complexas, que são necessárias quando o tumor já se formou ou está em estágio avançado.

“É imprescindível estabelecer ações de detecção com a garantia de acesso a exames de diagnóstico, em tempo adequado e com qualidade em todas as etapas da linha de cuidado da doença”, diz Shcolnik.

Associe-se Abramed

Assine nossa Newsletter

    Guia LGPD