Teste pode antecipar em 15 anos o diagnóstico da Doença de Alzheimer

Teste pode antecipar em 15 anos o diagnóstico da Doença de Alzheimer

Solução inovadora possui alto nível de automação, qualidade e segurança para levar resultados mais rápidos e precisos aos pacientes

Dados do Ministério da Saúde apontam que, em 2021, cerca de 1,2 milhão de brasileiros apresentavam alguma forma de demência e 100 mil novos casos são diagnosticados a cada ano. Em todo o mundo, o número chega a 50 milhões e, segundo estimativas da Alzheimer’s Disease International, os números poderão alcançar 74,7 milhões em 2030 e 139 milhões de pessoas em 2050, devido ao envelhecimento da população e a quatro fatores de risco associados à Doença de Alzheimer (DA), como: tabagismo, obesidade, altos níveis de glicose no sangue e escolaridade. 

Com mais de duas décadas de pesquisa científica sobre DA, a Roche Diagnóstica vem trabalhando em testes com biomarcadores inovadores para resolver questões clínicas e detectar a patologia em seus estágios iniciais, contribuindo para interromper sua progressão e, assim, preservar o que torna as pessoas quem elas são. “Trazemos para o mercado os testes IVD, em amostras de líquido cefalorraquidiano (LCR), que aumentam a precisão do diagnóstico e a confiança do médico”, explica Sandra Sampaio, diretora de Marketing da Roche.

Os critérios clínicos atuais para o diagnóstico da DA requerem que o paciente apresente algum grau de demência, sendo feito, na maioria das vezes, pela exclusão de outras patologias. Nesse sentido, a tecnologia da Roche é capaz de avaliar a dosagem de proteínas no líquor que possuem associação com a Doença de Alzheimer. A dosagem dessas proteínas, também conhecidas como biomarcadores TAU e beta-amiloide, permitem o diagnóstico e são detectáveis na fase de Comprometimento Cognitivo Leve (CCL). Acúmulo de beta-amiloide e tau são as principais características patológicas do Alzheimer e podem surgir 15 anos antes do início dos sintomas.

Outro benefício do teste é a automação, algo muito relevante tanto para os laboratórios quanto para o paciente. Com ele, é possível simplificar o processo de execução, além de excluir interferentes por ser um sistema fechado de diagnóstico. Dessa forma, o laboratório passa a ter uma maior padronização, levando a resultados de alta precisão para os pacientes e, também, de uma forma mais rápida. Os testes Elecsys® CSF para DA (biomarcadores Aβ-42, tTAU e pTAU) da Roche Diagnóstica já estão aprovados pela Anvisa e podem ser prescritos por geriatras, psiquiatras e neurologistas, por exemplo. 

Publicado em 24/1/2023

Associe-se Abramed

Assine nossa Newsletter

    Guia LGPD